domingo, 13 de maio de 2012

Amarrações amorosas ...


Outro dia desses fui ao cinema no shopping, e para fazer hora até o início da sessão, fui até uma livraria e peguei um livro de ocultismo para ler. No livro tinha um capitulo falando sobre amarrações amorosas e como essas amarrações na verdade atrapalham
nosso destino. Bem, atualmente vemos um grande número de feitiços de amor e anúncios com promessas de trazer o amor perdido. Bem a questão não é se o feitiço funciona ou não, mas você insistir em um relacionamento que não está no seu destino, ou esteve durante um tempo, mas esse tempo acabou, pois o destino segue um rumo diferente, ele precisa seguir, pois algo diferente está determinado na sua vida.

 Segundo a leitura que eu fiz, quando insistimos em algo que não é para nós, amarramos o nosso destino e isso acaba trazendo muito sofrimento. O destino, nossa história, vem definida antes até de virmos ao mundo, mas fazemos escolhas na vida, essas escolhas podem interferir diretamente no destino.

 O livro para tentar explicar, conta a história de uma mulher que vivia um triangulo amoroso,ela estava apaixonada por um rapaz, as conheceu um outro, de índole até um pouco duvidosa, pois não era muito fiel, mas se apaixonou pela personagem também. Ela larga o primeiro pretendente e se casa com o segundo, tem um filho com ele e vive uma vida infeliz no casamento, casada com um homem possessivo que a impede de realizar seus sonhos de ser uma cientista ... 

 No livro diz ainda que o encontro dos três já tinha sido programado antes de encarnarem. O homem que se casou com a personagem, já tinha sido marido dela em uma vida anterior, era um homem ciumento e obcecado que tinha maltratado muito ela, sua missão era se encontrar com ela e resistir a sua obsessão, ele se encontraria com a alma gêmea dele e os dois seriam felizes, pois sua divida com a esposa da vida anterior seria paga e sua alma gêmea estaria lá para ajuda-lo nas provações. Mas ele só conheceu a alma gêmea um mês depois, ele já estava apaixonado pela personagem, seu coração e seus olhos não enxergaram a alma gêmea. A personagem deveria ter mantido um relacionamento com o primeiro pretendente que ela largou, a função dele era incentivar os estudos dela, o destino dela era se tornar uma pesquisadora da cura de um determinado tipo de câncer.

 Ou seja, as escolhas, a insistências, cegaram nossos personagem. Eles tomaram rumos que não estavam descritos naquele destino anterior definido antes da encarnação, dos destinos que depois surgiram tornaram eles pessoas tristes. 

 Acho que a questão é essa, também tenho medo de tomar decisões erradas, ainda mais no amor. Mas acho que, a questão está na felicidade, se você está feliz, está do lado de alguém que te apóia, te faz crescer, você está no caminho certo, no destino certo. Nenhum relacionamento deveria causar a dor, sendo assim, o caminho certo é o caminho da felicidade, o que temos que analisar é o que é a felicidade ? o que é o amor verdadeiro ? Amor verdadeiro é aquele que te faz crescer, é companheiro, amigo, não há posse, pois a pessoa vive ao seu lado por escolha, escolha da felicidade. 

 Achei uma história num site muito interessante:

 LENDA DOS ÍNDIOS SIOUX 

 Conta uma lenda dos índios Sioux, que uma vez, Touro Bravo, um jovem guerreiro, e Nuvem Azul, a filha do cacique, chegaram de mãos dadas, até a tenda do velho feiticeiro da tribo... 

 - Nós nos amamos... e vamos nos casar - disse o jovem. E nos amamos tanto que queremos um feitiço, um conselho, ou um talismã... alguma coisa que nos garanta que poderemos ficar sempre juntos... que nos assegure que estaremos um ao lado do outro até encontrarmos a morte. Há algo que possamos fazer?

 E o velho emocionado ao vê-los tão jovens, tão apaixonados e tão ansiosos por uma palavra, disse: - Tem uma coisa a ser feita, mas é uma tarefa muito difícil e sacrificada... Tu, Nuvem Azul, deves escalar o monte ao norte dessa aldeia, e apenas com uma rede e tuas mãos, deves caçar o falcão mais vigoroso do monte... e trazê-lo aqui com vida, até o terceiro dia depois da lua cheia. E tu, Touro Bravo - continuou o feiticeiro - deves escalar a montanha do trono, e lá em cima, encontrarás a mais brava de todas as águias, e somente com as tuas mãos e uma rede, deverás apanhá-la trazendo-a para mim, viva! Os jovens abraçaram-se com ternura, e logo partiram para cumprir a missão recomendada... no dia estabelecido, à frente da tenda do feiticeiro, os dois esperavam com as aves dentro de um saco.

 O velho pediu, que com cuidado as tirassem dos sacos... e viu eram verdadeiramente formosos exemplares... - E agora o que faremos? - perguntou o jovem - Agora,disse o feiticeiro, apanhem as aves, e amarrem-nas entre si pelas patas com essas fitas de couro... quando as tiverem amarradas, soltem-nas, para que voem livres... 

 O guerreiro e a jovem fizeram o que lhes foi ordenado, e soltaram as aves... 
 A águia e o falcão, tentaram voar mas apenas conseguiram saltar pelo terreno. Minutos depois, irritadas pela incapacidade do vôo, as aves arremessavam-se entre si, bicando-se até se machucar. E o velho disse: - Jamais esqueçam o que estão vendo... este é o meu conselho. 
 Vocês são como a águia e o falcão... se estiverem amarrados um ao outro, ainda que por amor, não só viverão arrastando-se, como também, cedo ou tarde, começarão a machucar-se um ao outro... 
Se quiserem que o amor entre vocês perdure... voem juntos... mas jamais amarrados.

 (Extraído do livro O Poder da Solução de ROBERTO SHINYASHIKI)

2 comentários:

  1. Concordo com você literalmente no que diz respeito ao amor, não podemos forçar nada e por mais que soframos, precisamos entender que ningúem é de ningúem, e que a vida segue.
    Bjs querida.

    ResponderExcluir